Projetos já formaram 236 educadores em oito estados brasileiros

A EcoHabitare Projetos apresentou, no último final de semana, em São Paulo, na edição paulista da Conferência Nacional para Novas Alternativas na Educação (Conane), os resultados dos processos de transformação voltadas à criação de comunidades de aprendizagem, como a Rede Gaia Escola e Escolas em Transição. Educadores paulistas puderam conhecer projetos que estão acontecendo em todo o Brasil.

Os projetos de formação Gaia Escola e Escolas em Transição apoiaram a transformação de 236 educadores de 26 municípios, dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Brasília, Bahia, Tocantins e Rondônia. A rede criada pela EcoHabitare, conta 34 núcleos de projeto de reconfiguração da prática educativa e 5 escolas em transição.

Em diferentes estágios de desenvolvimento, as iniciativas de comunidades de aprendizagem vêm se expandindo por todo território nacional. Comunidade de aprendizagem é uma construção social formada por pessoas que habitam o mesmo território, físico ou virtual, partilham valores, uma mesma visão de mundo e sociedade, produzem e partilham conhecimento, operando transformação social e melhorando a qualidade de vida em comum, por meio do desenvolvimento de projetos locais para o desenvolvimento sustentável regenerativo.

“Mais do que um processo de formação, o Gaia Escola possibilita a integração de educadores que, insatisfeitos com a sua prática educativa, se lançam no desafio de reelaboração da sua cultura pessoal e profissional. Buscamos, em primeiro lugar, cuidar da pessoa. E, em seguida, iniciar o processo de reconfiguração da pratica educativa em núcleos de projeto”, afirma Cláudia Passos, da EcoHabitare.

“Esses núcleos se organizaram em redes, para troca de experiências e ideias”, explica Diogo Alvim, um dos responsáveis pelo projeto Gaia Escola.

“Com o objetivo de monitorar todo o processo a decorrer nos núcleos de projeto, estamos em fase de estruturação do Observatório da Transformação, onde será apresentado o estágio de desenvolvimento dos projetos, os indicadores de processo e resultado, além de se possibilitar a difusão de conhecimento e fortalecer as iniciativas”, explica Cláudia Passos.

Os educadores paulistas também puderam conhecer duas iniciativas de criação de comunidade de aprendizagem do Distrito Federal: a Escola Classe 115 Norte e a Comunidade de Aprendizagem do Paranoá – CAP, inaugurada em maio deste ano.

Outra boa notícia é a parceria firmada entre o Centro de Aperfeiçoamento dos Profissionais das Educação (EAPE) do Distrito Federal e a EcoHabitare, para realização de um projeto de formação, com foco em comunidades de aprendizagem, que terá início em outubro deste ano.