Slider

Diante da grande urgência em apoiar educadores, neste momento desafiador de quarentena, desenvolvemos uma proposta de formação compacta, onde os inscritos, ao final do percurso, estarão aptos a desenvolver práticas como a da Escola da Ponte.

Quem pode participar?

Todos os que desejam uma nova educação: educadores,  professores da rede pública e/ou privada,  pais, entre outros. Para a reconfiguração das práticas, incentivamos a formação de núcleos de projeto, equipes de educadores de uma mesma instituição ou iniciativa, que, juntos, iniciarão a reelaboração da sua cultura pessoal e profissional.

Existe algum pré-requisito?

Sim, ter disponibilidade de, além dos encontros programados, dedicar duas horas por dia para desenvolvimento de propostas de intervenção, ao longo da formação. E conexão de internet estável e regular.

Como vai acontecer?

O percurso de formação tem uma configuração prática, com atividades que apoiam os participantes a passar do paradigma da instrução para o de aprendizagem.
Depois do período de inscrição, dividiremos os participantes em núcleos de formação, considerando a proximidade territorial e/ou virtual.
Cada tutor será responsável por um núcleo de formação e o apoiará no desenvolvimento das atividades propostas,  esclarecendo dúvidas, que surgirão no decorrer do processo de aprendizagem.
Cada núcleo terá 12 horas de tutoria virtual: duas tutorias semanais, durante 4 semanas.  Além disso, serão oito horas de partilha virtual. Nas tutorias, os participantes serão desafiados a desenvolver seu planejamento diário, seu roteiro de estudos, bem como avaliar suas aprendizagens.
Todas as evidências de aprendizagem deverão ser postadas no PORTFÓLIO virtual.

Processos de aprendizagem

Fase 1 – Encontro virtual com todos os participantes, na plataforma Zoom.
Objetivo: Orientações sobre o funcionamento do ambiente virtual de aprendizagem e apresentação dos núcleos de projeto e tutores responsáveis.

Fase 2 – Período de tutoria, via zoom, duas vezes por semana.
Objetivo: Tutoria para passar do paradigma na instrução para o da aprendizagem.  

Fase 3 – Encontro virtual com todos os participantes, na plataforma Zoom.
Objetivo: Partilha das aprendizagens.

Fase 4 – Encontro virtual com todos os participantes, na plataforma Zoom.
Objetivo: Realização de Assembleia, para definição conjunta dos próximos passos.

Como é o Ambiente Virtual de Aprendizagem – AVA?

O participante contará com os recursos do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) da EcoHabitare, para o desenvolvimento das atividades propostas pelo tutor. Para isso, disponibilizamos:
Moodle, com várias referências de leitura, e portfólio para postagem das evidências de aprendizagem;
Zoom, plataforma onde serão realizadas as videoconferências;
Telegram, utilizado para comunicações urgentes.

Haverá certificado?

Sim. Aqueles que apresentarem evidências de aprendizagem no portfólio do AVA e preencherem o questionário de avaliação do processo formativo,  receberão um certificado de participação após 60 dias do encerramento, constando dele a indicação de 20h de processo formativo.

Coordenadores

Arquiteta e Urbanista (UFF), MSc em Construção Civil (UFPR), especialista em Gestão Ambiental (UFPR). É designer de sistemas sustentáveis, educadora ambiental e especialista em arquitetura escolar. Na EcoHabitare é Coordenadora de Projetos para uma Nova Educação.
Educador, Pedagogo, Especialista em Leitura e Escrita, MSc em Ciência da Educação pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto. Idealizador da Escola da Ponte, em Portugal. É autor de inúmeros livros e artigos sobre educação e indutor de mais de 100 projetos para uma nova educação no Brasil. Na EcoHabitare é o Coordenador de Projetos de Formação.

PROGRAMAÇÃO

18/05 (2ª feira)
Acolhimento

20/05 e 21/05 (4ª e 5ª feira)
Ambientação no AVA

25/05 e 27/05 (2ª e 4ª feira)
Núcleos 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7

26/05 e 28/05 (3ª e 5ª feira)
Núcleos 8, 9, 10, 11, 12, 13

01/06 e 03/06 (2ª e 4ª feira)
Núcleos 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7

02/06 e 04/06 (3ª e 5ª feira)
Núcleos 8, 9, 10, 11, 12, 13

08/06 e 10/06 (2ª e 4ª feira)
Núcleos 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7

09/06 e 11/06 (3ª e 5ª feira)
Núcleos 8, 9, 10, 11, 12, 13

15/06 e 17/06 (2ª e 4ª feira)
Núcleos 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7

16/06 e 18/06 (3ª e 5ª feira)
Núcleos 8, 9, 10, 11, 12, 13

22/06 e 25/06 (2ª e 5ª feira)
Partilha dos Núcleos

BAIXE A PROGRAMAÇÃO COMPLETA

O que vou aprender?

  • Refletir sobre o papel do educador na sociedade;
  • Iniciar o processo de transição entre o modelo tradicional para um modelo inovador;
  • Práticas fundadas no paradigma da aprendizagem;
  • Processos de construção de dispositivos de aprendizagem;
  • Planejamento;
  • Roteiros de estudos;
  • Metodologia de trabalho de projeto;
  • Mediação pedagógica (tutoria);
  • Avaliação formativa, contínua e sistemática – evidências de aprendizagem contidas em portfólio digital.

Investimento

As formações da EcoHabitare se orientam por uma visão colaborativa de sustentabilidade. Desde modo, todo o investimento necessário para sua realização é gerado a partir do desembolso financeiro dos participantes.
Para cobrir nossos custos, cada participante deverá se comprometer a colaborar com o valor apresentado no formulário de inscrição.
Acreditamos que um projeto de transformação pressupõe o envolvimento direto e indireto de muitas pessoas. Esse tecer junto fortalece o potencial viral que sonhamos.

Tutores

Educadora, pedagoga, mestranda em educação. Em 2012, após retornar do Japão, colaborou na criação da Escola Projeto Âncora. Hoje, Diretora e responsável pedagógica pela Escola Aberta de São Paulo.
Pai, educador, engenheiro ambiental e estudante de pedagogia libertária. Atuou como educador na escola do Projeto Âncora por 4 anos. Atualmente é educador na Escola Aberta de São Paulo.
Bacharel e licenciado em Educação Física pela Universidade Bandeirante de São Paulo (UNIBAN). Educador no Projeto Âncora por 9 anos e atual educador da Escola Aberta de São Paulo.
Historiador formado pela Universidade Estadual de Santa Catarina. Foi educador no Projeto Âncora e atualmente é tutor na Escola Aberta São Paulo.
Bióloga e Mestre em Ecologia, Educadora especialista em Ciências da Escola Aberta de São Paulo. Em sua última experiência atuou na escola Projeto Âncora durante 3 anos e meio.
Pedagoga, ex-educadora e tutor a da Escola Projeto Âncora, atualmente faz parte da equipe de educadores da Escola Aberta de São Paulo.
Além de mãe de duas flores: Violeta e Elisa, é Jornalista, MSc em Turismo (UnB) e educadora na Ecohabitare desde 2015. Na EcoHabitare, atuou como facilitadora e formadora do Gaia Escola. Foi professora do Instituto Federal de Brasília (IFB), de 2016 a 2018, e na Escola Sempre Viva ( Algodões -BA), de 2018 a 2019, onde, em equipe, iniciou a reconfiguração da prática pedagógica.
Formada em Licenciatura Plena em Pedagogia, pós-graduada em Gestão Escola e especialista em alfabetização. É professora da rede Municipal de Petrópolis. Integrou a equipe do Projeto Independência de Petrópolis que recebeu certificação do MEC como projeto de Inovação e Criatividade em 2015.
Professora, pós graduada, atuando desde 1998. Em 2015, iniciei a formação em Educação Integral, pela EcoHabitare, implementando a proposta no Projeto Independência onde permaneci até o fim de 2018. Atualmente atuo na Orientação Pedagógica de uma Escola de Educação Integral, com o desafio de implementação de práticas inovadoras.
Artista, design em sustentabilidade, professora EE Prof José Manoel Alvares Rosende em Bom Jesus dos Perdões/SP, onde desenvolve em projeto “inovador”.
Formada em Letras (Português e Linguística) pela USP. Foi educadora tutora no Projeto Âncora (2015 a 2018), hoje é educadora na Escola Móbile.
Além de chocolatra, formado em Educação Física pela UNICAMP, trabalhou em projetos de Educação e Cultura com o MTST, fez parte da equipe Pedagógica do Projeto Âncora, e atualmente trabalha no Instituto Tiê, projeto de educação alternativo em Ilhabela.
Educador envolvido no projeto de transformacão educativa da Escola Básica da Várzea de Sintra (Projeto dar ASAS), em Portugal. Doutor em Educação e investigador nas áreas da autorregulacao da aprendizagem, aprendizagem significativa e inteligência prática.