Nasce na capital uma iniciativa digna de aplausos! Como na época de sua inauguração, quando os grandes pensadores do país se reuniam por aqui com a missão de construir um Brasil novo, um grupo de educadores comprometidos com a criação de uma sociedade melhor se prepara para botar em prática uma ideia absolutamente revolucionaria. Em fevereiro, a cidade irá ter a honra de assistir à estreia da Comunidade de Aprendizagem do Paranoá – C.A.P.

Escolhi o termo estreia, ao invés de inauguração, pois tenho certeza de que estamos diante de um verdadeiro espetáculo e me ponho desde já a aplaudir.

Eu vivia me perguntando onde foi parar o plano genial de Anísio Teixeira, Paulo Freire e Darcy Ribeiro, que elaboraram  uma possibilidade real de transformação social a partir de uma educação avançada para o Brasil e com o passar dos anos, foi sendo apagado pelas velhas formas engessadas de se pensar educação.

Quando Brasília nasceu, os filhos dos senadores dividiam a sala de aula com os filhos dos pedreiros. Pela manhã, na Escola Classe, aprendiam matemática, português, ciências, história e geografia. À tarde, na Escola Parque, aprendiam tecelagem, carpintaria, musica, dança, brincadeiras de roda, esportes e por ai vai.

Nosso futuro estava prestes a decolar sendo pilotado por jovens cuja mente, estimulada de forma criativa, iriam construir um mundo mais justo e equilibrado.

Essa promessa se perdeu em algum ponto e enquanto a burocracia se sobrepunha à pedagogia, à arte e à ciência, o jeitinho de ensinar típico da Idade Média se consolidou.

Agora os ventos de mudanças voltam a soprar por aqui! Sob a coordenação pedagógica de José Pacheco, criador da Escola da Ponte, em Portugal e Cláudia Passos, Designer de Sistemas Sustentáveis, um grupo de educadores da Secretaria de Educação do DF, retoma o rumo do caráter inovador de Brasília. Como diz Pacheco: “escola são as pessoas, não são edifícios”. A C.A.P é isso: pessoas engajadas em mostrar ao mundo que uma outra educação é possível.

Ao amigo leitor que se interessar, recomendo duas pesquisas interessantes. Primeiro procure saber sobre a Escola da Ponte e o enorme impacto causado por ela na comunidade portuguesa. Assim poderá entender o porque do momento favorável vivido por eles e quem sabe, ao invés de seguir o comboio de brasileiros que está se mudando para Portugal, possa aderir ao movimento que a C.A.P. inaugura por aqui.

E a segunda é a busca de informações sobre a própria C.A.P. , que podem ser encontradas no site www.ecohabitare.com.br

Que felicidade voltar das ferias com tão boas noticias para compartilhar.

Por: Maria Paula Fidalgo