Formação para Novas Construções Sociais de Aprendizagem

Buscando atender ao desafio apontado pela UNESCO de, no período 2015-2030, incorporar ao currículo escolar conceitos de sustentabilidade, formar professores e mobilizar a juventude para uma educação para o desenvolvimento sustentável, a EcoHabitare oferece o Projeto de Formação Gaia Escola.

O projeto é resultado do diálogo entre duas abordagens pedagógicas: o Programa Educação Gaia – Design para Sustentabilidade, do Gaia Education, membro do Programa de Ação Global da UNESCO e o Projeto da Escola da Ponte em Portugal, referência mundial em inovação em pedagogia. Além disso, o Gaia Escola busca convergência com a Meta 4 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS, que pretende assegurar educação inclusiva, equitativa e de qualidade, além de promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida, para todos.

Concebido no quadro de uma nova abordagem pedagógica, o Gaia Escola utiliza uma multirreferencialidade teórica tecida a partir da convergência de múltiplas propostas. No cerne da fundamentação da prática pedagógica estão aqueles que, no decurso do século XX, apontaram caminhos para a educação do Brasil como: Agostinho da Silva, Anísio Teixeira, Darcy Ribeiro, Florestan Fernandes, Lauro de Oliveira Lima, Maria Nilde Maschellani, Milton Santos, Nise da Silveira e Paulo Freire. Para além do marco de natureza científico-pedagógico, adota-se um marco legal com base na Constituição Federal, no Estatuto da Criança e do Adolescente, na Lei de Diretrizes e Bases e nos Parâmetros Curriculares Nacionais/Base Curricular Nacional Comum.

O processo de aprendizagem visa promover uma transformação vivencial que alie, de fato, a teoria à prática e à realidade vivenciada na escola e no contexto da sua comunidade. O conhecimento teórico proposto nada mais será do que a base para o começo de uma transformação necessária do modelo educacional vigente nestas escolas.

O curso integra a metodologia de trabalho de projeto. As estratégias de ensino e aprendizagem que adotamos são baseadas nos quatro pilares de educação da UNESCO – Aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a ser, aprender a conviver.

Objetivo geral

Oferecer aos  que acreditam em um novo modelo educacional o apoio para  implementação de uma nova abordagem pedagógica, que confere à reconfiguração das práticas as dimensões da sustentabilidade.

Objetivos Específicos

  • Apresentar e vivenciar novas formas aprendizagem, que propiciem a realização pessoal, profissional e social dos educadores;
  • Subsidiar o educador na transição entre o modelo transmissivo “tradicional” e a prática da mediação pedagógica;
  • Exercitar a prática de trabalho de projeto, orientado por equipes de educadores;
  • Conceber novas construções sociais de aprendizagem, que integrem as dimensões escolar, familiar e social, e contemplem as necessidades sociais contemporâneas, a participação ativa contribuindo para a coesão social e para um desenvolvimento local sustentável;
  • Apoiar a criação de redes de projetos inovadores, e disponibilizar condições para a criação de redes de escolas e comunidades envolvidas em processos de mudança educacional sustentável, a nível local.

Dimensão Social

Tem por objetivo promover o resgate do sentido de comunidade, perdida, dentro da escola e entre a escola e o seu entorno, identificando os aspectos que contribuem para o cenário atual e estabelecendo as condições que possam apoiar o retorno do sentido de confiança e apoio mútuo. Compreende um processo de aprendizagem que possibilitará uma grande transformação no fazer educação. É o fio que leva à aprendizagem, as bases para as outras dimensões, para prestar apoio e subsídios ao exercício de viver em uma comunidade.

Dimensão Visão de Mundo

Busca romper com a lógica da educação reduzida historicamente a um processo de desenvolvimento apenas cerebral, lógico, cognitivista, abrindo espaço para uma educação que promova o desenvolvimento humano integral. Serão abordadas temáticas de forma a nos tornarmos capazes de ver o ser humano como um ser capaz de desenvolver plenamente suas capacidades criativas e de integrar os aspectos mentais, emocionais, corporais e relacionais.

Reforça a escola como espaço laico que possibilita o encontro de nossa humanidade compartilhada, para além de nossas diferenças de personalidade ou identidades culturais e religiosas, onde podemos exercitar a compaixão e a parceria. Para este fim, apresentaremos abordagens que trazem uma visão holística do mundo e da estrutura espiritual do homem e sua relação com o fluxo da natureza.

Dimensão Econômica

Mostra caminhos para a escola ser um ponto difusor de novas formas de gerar riqueza. Para isto, é necessário identificar os pilares da economia global e como elas impactam a realidade da comunidade e da escola. Com base nos princípios da economia solidária, os participantes do processo de formação poderão integrar ferramentas de outros princípios econômicos ao contexto da escola. A escola pode conter exemplos práticos do que existe de outra economia e que apoia as bases de convívio que acreditamos e criando um cardápio amplo de estratégias para a construção de rede colaborativa para sustentabilidade econômica das escolas/comunidade.

Dimensão Ecológica

Aborda a escola no contexto da comunidade como potencial espaço ecopedagógico. Ou seja, uma dimensão que busca fazer dos espaços da escola e da comunidade, ambientes para práticas pedagógicas que ressignifiquem a relação do homem com o seu meio. São utilizados os conceitos da permacultura e da agroecologia, de forma a possibilitar a criação de bairros sustentáveis.

Cuidadores

José Pacheco
José Pacheco
Cláudia Passos
Cláudia Passos
Cristiano Silva
Cristiano Silva
Diogo Alvim
Diogo Alvim

Conheça todas as edições do Gaia Escola

Veja todas

Gaia Escola Inkiri Piracanga

Com a disposição de experimentar viver uma comunidade de aprendizagem, os 38 participantes iniciaram um percurso de (trans)formação pessoal e profissional, o design de novas construções de aprendizagem integrando as dimensões da sustentabilidade e a criação de uma Rede de Projetos de Mudança da Educação formada por 23 núcleos de projeto distribuídos pelos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Mato Grosso, Santa Catarina, Ceará, Amazonas e Bahia.

Passando por todos os caminhos, do eu ao nós, uma grande Rede de Comunidades de Aprendizagem está se construindo no Brasil, um sonho sonhado por muitos educadores.

Veja mais

Conheça nossa Rede de Projetos de Inovação da Educação

“Escolas são Pessoas”

OBSERVATÓRIO